2° Mostra de Minidocs MNM

Oi gente! Bom, viemos todos aqui num post contar um pouco melhor como foi a 2 Mostra de Minidocumentários do Móbile na Metrópole exibida sábado, dia 29/10, no Cinema Belas Artes, em São Paulo. Nosso minidoc foi um dos 11 selecionados para aparecer na Mostra e, portanto, aparecemos em peso para prestigiar nosso trabalho e de todos os outros que participaram do projeto.

Era de manhã, às 9h30. Todos com cara de sono, mas felizes de poder passar um tempão num dos cinemas mais antigos e tradicionais de São Paulo, com um filme nosso passando nas telas. Foi bom também encontrar todos que partilharam vivências conosco durante esse ano com o projeto. Ainda que fosse um fechamento, a sensação era de dever cumprido e satisfação com os resultados finais.

Ver todas as famílias reunidas também foi muito interessante. Muito legal conhecer um pouco melhor de cada um, num ambiente fora da escola, não falando apenas dos alunos, mas também professores, monitores, e todos que alguma vez haviam estado conosco dentro do ambiente escolar.

belas-artes-1
Fonte: https://linhaslivres.files.wordpress.com/2014/01/belas-artes-1.jpg

Foi quando sentamos nas cadeiras almofadadas e já gastas do cinema que percebemos o real valor que nosso trabalho estava recebendo. Não apenas nosso, mas de todos os alunos.

Cada minidoc foi um olhar da cidade muito peculiar e muito fascinante. Todos muito diferentes entre si. Aprofundando ainda mais o tema da intolerância que permeou nosso ano. As edições também foram bastante distintas, porém todas muito bem feitas e com certeza trabalhosas. O mais interessante foi podermos perceber a variedade de assuntos que podemos tratar sobre São Paulo que nós não temos conhecimento algum, porém podem ser muito aprofundados. O movimento dos secundaristas, por exemplo, ou mesmo a ideia dos patrimônios históricos na cidade sendo desvalorizados, são tópicos de extrema importância, atuais e que nós não tivemos tanta aproximação (até vermos os minidocs).

Dentre todos os incríveis minidocs, que com certeza representavam uma pequena parcela de todo o projeto em si, chamou nossa atenção alguns deles. Primeiramente, o vencedor da Mostra, chamado “Ditadura Barbie”. Foi um minidocumentário que tratou da padronização da beleza da mulher na cidade, conseguindo expressar efetivamente todo o sofrimento pelo qual as mulheres passam diariamente tentando se encaixar num rótulo. Foi emocionante. Os relatos das mulheres coletados, as explicações teóricas, e a presença disso no nosso dia-a-dia foram muito bem explorados. As meninas do grupo estão de parabéns por tratarem de um assunto tão importante de uma maneira muito inteligente.

Veja aqui o minidoc delas:

Além disso, o documentário sobre a Avenida Paulista, do grupo inclusive de nossa sala, nos impressionou. O tanto que puderam falar de uma única avenida… Foi impressionante! Realmente, o ícone de São Paulo merecia essa devida atenção que lhe deram, explorando aspectos históricos, culturais e sociais que permearam a rua. Sem falar na edição, que foi impecável, e pareceu que estávamos vendo um filme de grandes diretores.

Outro minidoc que chamou nossa atenção foi sobre a Primavera Secundarista, cujo título também foi bastante criativo. Trataram de um tema atual e importante, com protagonistas muito próximos de nós: compartilham da mesma idade. Foi chocante entrar com uma realidade tão dura porém admirável de pessoas que não são tão diferentes de nós, se pensarmos bem. Gerou bastante reflexão.

Por fim, o minidocumentário apresentado sobre o projeto em si nos trouxe um sentimento nostálgico e acendeu de novo a sensação do mergulho dentro da cidade durante o estudo do meio. Lembramos o quanto aprendemos nesses três dias e o quanto eles efetivamente mudaram nosso olhar sobre nós e sobre a cidade. Deu saudade. Mas também deu alegria por termos passado por isso. E além: por termos a oportunidade de lembrarmos disso com todos que estiveram ali durante a viagem.

Acreditamos que a ideia de passar os minidocumentários como fechamento do projeto no Cinema foi incrível. Nada melhor do que finalizar o ano voltando um pouco à “rotina Móbile na Metrópole”, saindo da bolha em que vivemos. Por isso, valeu à pena termos ido e prestigiar os trabalhos de pessoas que se empenharam tanto, e assim como nós, se recompensaram com muitos ganhos. Ganhos que pudemos de fato refletir sobre nesse sábado de manhã.

 

Anúncios

Mostra de Filmes de Hip Hop

O CineSesc irá sediar uma Mostra de Filmes de Hip Hop que começa hoje galera! Ela reúne vários longas e curtas, sejam ficções ou documentários, que estão dentro das várias esferas do hip hop, como o DJ, a raíz de rua e a Old School.

O objetivo principal desse evento é buscar os fundamentos da cultura hip hop que nunca seriam exibidos no Brasil. Informações que simplesmente ficaram restritas às pessoas que viviam na época. Além de tratar do presente e os atuais desdobramentos dessa cultura, que faz parte das ruas, das danças de break, das festas com dj’s, etc.

A Mostra irá homenagear Bobbito Garcia, que ajudou a difundir artistas nesse ramo como Jay-Z, Notorious B.I.G por um programa de rádio que apresentava nos anos 90 nos Estados Unidos. O principal documentário do evento, portanto, é aquele que conta um pouco da história de sua vida, chamado: “Stretch and Bobbito: Radio That Changed lives”. Veja abaixo  trailer:

Além disso, o pessoal está com grandes expectativas para a exibição do documentário sobre o famoso rapper brasileiro Sabotage, lançado em 2015. Conhecido por causar uma comoção intensa, ele mostra depoimentos de vários outros rappers como Mano Brown (Racionas MC’S), BNegão, e outros famosos como Hector Babenco e Paulo Miklos. Veja o trailer abaixo:

 

Informações sobre o local e exibição:

ONDE?  CineSesc, localizado na Rua Augusta, número 2075.

QUANDO? De 28 de setembro até dia 4 de outubro

COMO COMPRAR? Todos os ingressos são gratuitos, mas vocês podem comprar por esse site: https://www.sescsp.org.br/unidades/2_CINESESC/

“The Get Down” e o surgimento do hip-hop

Boa noite gente! O post de hoje trata de uma notícia que nos deixou super animados, principalmente porque tem muito haver com o nosso tema no projeto. Hoje, dia 12/08 estreia no Netflix a série “The Get Down”que mostra o surgimento do hip hop nos anos 70 nos Estados Unidos. 

A série mostra um grupo de jovens, uma gangue, do South Bronx, que precisam enfrentar as diversas dificuldades da vida em meio ao caos da cidade de Nova Iorque. São pessoas que se armam com sprays e tintas, rimas e versos para mudarem suas vidas.

Dirigida pelo australiano Baz Luhrman, a série estreia com grande expectativa após o sucesso tão fenomenal de “Stranger Things”, também produzida pelo Netflix.

Veja abaixo o trailer, e pegue sua pipoca para já começar a maratona!

Dica cultural: fim de férias!

Oi pessoal! Como toda sexta-feira à tarde, viemos aqui dar algumas dicas para todos nós aproveitarmos ao máximo este último final de semana de férias! Isso mesmo, o descanso está acabando, infelizmente. Nada como boas exposições e passeios pela cidade! Vejam abaixo:

Exposição “Eu amo São Paulo”– Uma exposição fotográfica que reúne fotos de profissionais e amadores desafiados a registrarem o seu olhar sob a metrópole! Reunindo 507 imagens, houve uma verdadeira representação do que é a cidade em que moramos: pulsante, tendo na diversidade a sua grande beleza. Veja as informações abaixo sobre o evento:

Captura de Tela 2016-07-29 às 17.07.00
Retirada do site: http://www.guiadasemana.com.br/evento/artes-e-teatro/eu-amo-sao-paulo-shopping-center-3-28-07-2016

Exposição “Atlas Fotográfico da Cidade de São Paulo”– Com 203 imagens de Tuca Vieira, este evento busca retratar a expansão territorial da cidade e as suas distintas faces que a tornam única. Veja abaixo mais informações:

Captura de Tela 2016-07-29 às 17.15.41
Retirada do site: http://guia.uol.com.br/sao-paulo/exposicoes/detalhes.htm?ponto=atlas-fotografico-da-cidade-de-sao-paulo_4106349786

Grafitti em Celofane, Sesc – Ao longo de quatro cidades, como Itaquaquecetuba, Diadema, São Caetano do Sul e Mauá, grafiteiros espalharam painéis de celofane que buscam a reflexão a respeito a apropriação do espaço público pelas artes visuais, tal como o grafite. É a conquista da cidadania por meio das artes. Veja abaixo mais informações:

Captura de Tela 2016-07-29 às 17.22.52
Retirada do site: http://www.sescsp.org.br/programacao/97053_GRAFFITI+EM+CELOFANE
Captura de Tela 2016-07-29 às 17.23.08
Retirada do site: http://www.sescsp.org.br/programacao/97053_GRAFFITI+EM+CELOFANE

 

Upfest

Ei galera! Bom dia! Recentemente, vimos em nossos snapchats que rolou um dos maiores festivais de street art do mundo nos últimos três dias (23,24 e 25 de julho). É o chamado Upfest, conhecido como o maior festival europeu de grafite e street art com mais de 300 artistas que passeiam por várias ruas de Bristol, Bedminster e Southville, no Reino Unido, grafitando e pintando. E como todo festival, além de você ver os artistas em ação, há palcos com música boa, venda de produtos de arte e workshops para o público aprender um pouco também da técnica dos artistas.

Entre os artistas desse ano tivemos Cheba, Fin DAC, SHOK-1 e muitos outros, como o brasileiro LM7!

Captura de Tela 2016-07-26 às 11.59.25
Obra feita por LM7. Foto tirada de: https://www.theguardian.com/artanddesign/gallery/2015/jul/27/upfest-2015-street-art-graffiti-festival-in-pictures

Bristol, uma das cidades por onde passam os artistas, é famosa por ser o local onde o pioneiro em street art Banksy nasceu.

O mais legal é que grande parte do dinheiro arrecadado com o festival vai para uma organização chamada Nacoa, que dá assistência às crianças com pais envolvidos com o alcoolismo.

Visite o site para ver mais fotos e conhecer mais artistas (Site: http://www.upfest.co.uk/):

Este slideshow necessita de JavaScript.

E para você ter uma ideia, veja o vídeo de uma das obras feitas no festival de 2012:

Agradecimentos à Basquiat

Manhattan, 1977. Um garoto afro-americano de 17 anos saía encondido com seu amigo para pintar nos muros. Era o tal do “grafite”que faziam. E seu nome: Jean-Michel Basquiat. 

graffiti-samo-de-jean-michel-basquiat-nos-anos-80-estados-unidos-3
Fonte: http://www.subsoloart.com/blog/wp-content/uploads/2012/03/Graffiti-SAMO-de-Jean-Michel-Basquiat-nos-anos-80-Estados-Unidos-3.jpg

Um dos primeiros grafiteiros do mundo que influenciou na ascensão da arte de rua. Só depois da juventude que levou os traços rígidos e transgressores das ruas para as telas e para as quatro paredes dos museus. Assim começava sua fase de arte neo-expressionista, junto com grandes amizades, como com Madonna e Andy Warhol.

04-michael-halsband-w1200-h630
Fonte: http://pixel.nymag.com/imgs/daily/vulture/2015/05/04/seen/04-michael-halsband.w1200.h630.jpg

Essa arte que foi financiada por grandes investidores, alavancando sua carreira como artista, é caracterizada por ter personagens apavorados, com policiais, cenário urbano intenso e pinceladas nervosas. Além disso, ícones da música afro também eram retratados em quase todas suas obras. Sem falar nas cores fortes e escritas indecifráveis que remetem à cultura hip-hop e do grafite, que consolidou a base artística de Basquiat.

jean-michel-basquiat-7
Fonte: http://www.bontempo.com.br/wp-content/uploads/2015/02/jean-michel-basquiat-7.jpg

Havia também uma ideia de trazer uma concepção de arte completamente diferente daquilo que foi mostrado no passado, dessacralizando ícones da arte clássica, como a própria MonaLisa.

mona2blisa2bbasquiat
Fonte: https://mnm162ag7.files.wordpress.com/2016/07/cb0b6-mona2blisa2bbasquiat.jpg

Infelizmente, com o consumo excessivo de drogas e a perda de um grande amigo com sobrenome Warhol, Basquiat entra no mundo da perdição e morre em 1988 por overdose de heroína.

Mesmo assim, obrigado Basquiat. Nós agradecemos pela sua coragem e ousadia de desafiar as circunstâncias sociais e físicas da sua época, pintando nos muros de Manhattan. Sem a sua atitude transgressora, talvez nunca tivéssemos hoje em dia uma cidade cheia de grafites. Com certeza, o seu desejo não foi cumprido em vão. 

 

Batalha de rap

Oi gente! Viemos falar pra vocês de algo incrível que acontece aqui na cidade que se chama Batalha de Rap ou Batalha de Rimas. Todas as sextas, na esquina da Rua Augusta com a Av. Paulista, temos uma junção de MC`s que mostram seu talento e se divertem muito fazendo músicas e rimas pra lá de interessantes.

No site ponte.org, vimos uma entrevista com um dos organizadores dessa batalha, chamado MC Will Smith. Carismático e sincero, ele explica um pouco como funciona sua vida e sua relação com o rap e a cidade. Explica bastante também a relação que tem com a polícia, muitas vezes julgado por sua aparência. E como o rap foi para ele uma válvula de escape dos problemas da vida.

O que mais chamou nossa atenção foi a escolha do local para a batalha. Segundo MC Will, rap é algo que vem das periferias, portanto, eles queriam afrontar o sistema ao realizarem a batalha em um pólo comercial, em frente ao banco Safra. Queriam contradição.

Veja abaixo a entrevista do rapper:

Outras inspirações

Oi gente! Nessa noite de sábado, pensamos em postar aqui alguns outros blogs sobre arte de rua que nos inspiraram até agora. Bom, aqui vamos nós!

  • Unurth (http://unurth.com): Blog bastante simples, porém postam bastante sobre intervenções urbanas que acontecem ao redor do mundo. Muito legal para perceber que em praticamente todos os lugares do mundo temos street art, workshops e outras intervenções muito criativas.

Captura de Tela 2016-07-09 às 19.21.11.png

  • Arrested Motion (http://arrestedmotion.com): Majoritariamente sobre grafite, este site contém diversos recursos que nos aproximam da arte de rua ao redor do mundo. Temos entrevistas,  fotos de feiras de arte, vídeos que mostram diversos trabalhos de pequenos a grandes artistas. Muito informativo e muito interessante para quem quiser ficar sempre atualizado com o que está acontecendo no mundo do grafite.

Captura de Tela 2016-07-09 às 19.23.17

  • Spray Beast (www.spraybeast.com): Outro site bastante legal porque tem várias entrevistas, reviews e fotos muito incríveis sobre projetos de grafiteiros e outras exposições. Segundo os seus fundadores, eles apenas queriam documentar um pouco do grafite ao redor do mundo, acabando com vários admiradores que visitam seu site diariamente.

Captura de Tela 2016-07-09 às 19.24.20.png

  • Graffuturism (http://graffuturism.com/): Site e blog muito legais pra quem gosta de arte no geral e grafite. Tem notícias das mais recentes exposições, galerias, ao redor do mundo. Além de várias fotos de murais feitos também em diversos países.

Captura de Tela 2016-07-09 às 19.25.08.png

Dica cultural: Vila Madalena e a Bahia

Boa tarde pessoal! Como toda sexta-feira, viemos aqui dar uma super dica pra vocês aproveitarem o fim de semana. Amanhã, dia 02/06/16, é comemorada a Independência da Bahia. O que chamou nossa atenção: essa comemoração será feita na Vila Madalena, com diversos shows, comida, exposições que fazem referência à cultura baiana. Como vocês já devem saber, a Vila Madalena é um ponto da cidade muito importante para os grafiteiros e artistas de rua: lá se encontram as maiores concentrações de grafites na cidade!

Assim, nada melhor do que passar um belo sábado de sol observando grafites incríveis, comendo o melhor da comida baiana e ouvindo axé. Tudo começa às 14:00, com uma roda de capoeira. Dali em diante, é só festa! Haverá aulas de axé até domingo! Veja a imagem abaixo para mais informações (retirada do site: https://catracalivre.com.br)

Captura de Tela 2016-07-01 às 16.40.26

Dica cultural: livros sobre grafite

Bom dia! Pesquisamos um pouco e viemos aqui falar sobre alguns livros que falam sobre o grafite e a street art no geral. Pegamos algumas referências de dois sites: http://www.guiadasemana.com.br e http://www.designculture.com.br. Colocamos também onde se pode encontrá-los e o seu preço! Aproveitem que as férias estão chegando para começar a ler!

O mundo do Grafite, de Nicholas Ganz. 

Traz mais de 2000 imagens de grafites ao redor de 5 continentes, com experiências e depoimentos de alguns dos artistas. A leitura é bastante interessante, e você não precisa ser um conhecedor de street art para fazê-la.

15015294
Fonte: http://statics.livrariacultura.net.br/products/capas_lg/294/15015294.jpg

Onde comprar: Livraria Cultura (http://www.livrariacultura.com.br)

Preço: R$ 104,90 em até 3x de 34,97.


Grafitti – intervenção urbana e arte, de Anita Rink. 

Traz uma reflexão maior para seus leitores ao tratar do grafite e street art dentro de uma sociedade capitalista, contrastando com a lógica e modo de produção de tal. Super interessante ao retratar a arte urbana como algo que democratiza os espaços públicos, promovendo solidariedade e colaboração em cada ação de intervenção.

42130379
Fonte: http://statics.livrariacultura.net.br/products/capas_lg/379/42130379.jpg

Onde comprar: Livraria Cultura (http://www.livrariacultura.com.br)

Preço: R$ 52,00.


Estética Marginal volume II, de Allan Szacher com contribuição de Victor Moriyama e Felipe Lopez. 

Livro com vários volumes, que traz dentre eles vários críticos e artistas do grafite. Neste segundo volume, especificamente, temos grafiteiros pioneiros brasileiros, como Zezão. Temos entrevistas, fotografias ao redor da cidade de São Paulo.

cap_02
Fonte: http://www.zupi.com.br/wp-content/uploads/2012/09/cap_02.jpg

Onde comprar: Loja Koralle (http://www.koralle.com.br) ou Estante Virtual (http://www.estantevirtual.com.br)

Preço: R$ 70,00.