Instrumentos de Avaliação

Oi gente! Viemos neste post tratar um pouco sobre um aspecto mais objetivo de nosso projeto: os instrumentos de avaliação. Sim, nem tudo são flores! Esse último semestre tivemos como forma de avaliar nosso desempenho duas ferramentas: o blog (este que vocês estão lendo) e o mini-documentário (postado neste post MINIDOC, caso alguém não tenha visto).  Portanto, se preparem que esse post será mais objetivo e menos reflexivo!

Considerando primeiramente o blog, todos do grupos achamos este como sendo a melhor maneira de avaliar. Primeiramente porque, querendo ou não, é legal vir aqui e escrever no blog. Sim, fugimos da rotina. Segundo, desenvolvemos ainda mais nossa habilidade de escrita, porém não precisamos ser extremamente formais como nas redações. Terceiro e último: não são tarefas complicadas de fazermos ou muito complexas que exigem nossa intensa dedicação, como no minidoc. São tarefas curtas e prazerosas. Portanto, achamos que foi uma maneira bem justa de avaliar o desempenho do grupo: para nós foi bom e dava para perceber a dedicação e esforço do grupo.

No entanto, temos algumas ressalvas. No início do ano, quando tivemos que montar o blog, ficamos muito perdidos, ainda que tivéssemos várias fontes para consultar e pesquisar. Achamos, como sugestão, que seria interessante reservar uma aula para aprendermos passo a passo como mexer no blog, postar, inserir imagens, e outros recursos estilísitcos legais. Muitos grupos, apenas no meio do projeto, souberam de instrumentos interessantes que eles poderiam ter usado durante todo o começo do ano. Confessamos que não foi um início fácil.

Além disso, pensamos que o endereço do blog é muito complexo, ainda que sabemos que seja para facilitar as correções. Porém, muitos familiares pediam para ver nossos posts e o design do blog e era muito complicado mostrar para eles, dificultando um acesso mais recorrente de outras pessoas que não são nem do grupo nem do  núcleo de professores.

Considerando agora o minidocumentário, também achamos que foi um interessante instrumento de avaliação. Achamos importante vocês, professores, nos colocarem numa posição de desconforto perante a edição de vídeo, entrevistas, etc. São coisas que teremos que vivenciar um dia na vida. Além disso, o ganho que tivemos com tais experiências foi incrível. Sem falar que é uma boa maneira de ver a marca-registrada de cada grupo, pois certamente documentários muitos distintos foram feitos e muito legais também.

Porém, temos alguns pedidos. Primeiramente, achamos que o processo de escrita do roteiro foi pouco trabalhado em aula. Sabemos que tivemos nas aulas de literatura um espaço para ver outro documentário e mais uma ficha para desenvolvermos nossa linha de raciocíno, no entanto em poucos momentos os professores guiaram os alunos sobre como, por onde e quando começar. Certamente, depois que começamos, é mais fácil desenvolver. Entretanto, acreditamos que estava tudo muito vago no início. Alguns podem dizer que desenvolveria nossa autonomia, porém acreditamos que não foi eficiente no sentido de que desenvolveríamos muito melhor esta habilidade caso um ponto de começo nos fosse dado para deslanchar o projeto. Uma opção seria mostrar desde o início os critérios de correção e o que deveria ter no minidoc, para já partirmos de premissas.

Além disso, o processo de edição de vídeo requer uma mínima habilidade com editores como Imovie e Premium Adobe. Um grupo que não possui nenhum tipo de experiência fica prejudicado. Ainda que houvesse os plantões de edição, quando fomos neste, achamos que estes realmente poderiam ter sido melhor aproveitados. Primeiramente, os grupos vem com dúvidas muito pontuais sobre seus projetos e não temos tempo de discutir tudo com todos, deixando alguns desfalcados. Segundo, há a presentação de um outro programa de edição que realmente seria bom, se não fosse pelo fato de que já tínhamos começado a editar os vídeos semanas antes e que é realmente difícil de baixá-lo (levamos alguns dias).

Como sugestão, levaríamos em conta algum tipo de aula que pudesse dar o ponto de início do projeto, orientando melhor o roteiro e o que deveria ser abordado sem falta no minidoc (a ficha dos critérios de correção foi disponibilizada um pouco tarde). Além disso, considerando os plantões, acreditamos que seria mais proveitoso algo mais oficial no início do semestre, que ensinasse de fato a usar um programa, e no final do mês um plantão para dúvidas mais pontuais.

Portanto, essas seriam algumas dicas e apontamentos referentes aos instrumentos de avaliação.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s